Site de Busca - Cadastro GRATUITO

Comportamento de gado meio sangue chianina x nelore ao abate
(Por: Gianandrea Matarazzo, Fidelis A Netto, Glaucio P de Assis, Pedro Luiz A Nunes)

Introdução

Há muitos anos, talvez 20 ou mais, reprodutores puros da Raça Chianina vem sendo utilizados sobre vacas zebuína com o objetivo de obtenção de mestiços para o abate.

A principio, grande parte dos machos e fêmeas meio sangue foram utilizados na reprodução, para obtenção de produtos 3/4 ou 1/4. Estes ultimos, são obtidos para abate, em grande volume, com emprego de machos ½ Chianina sobre raças zebuínas. Sempre foram observados resultados entusiamadores com o abate de mestiços (meio sangue e um quarto), quando é verificada boa produção de carne a pasto em menor tempo de criação. Apesar dos esforços da ABCC, raramente eram obtidos registros desses abates, em geral isolados, ou dos quais só se tinha informação oral. Estes resultados contribuiram para a difusão da Raça Chianina no Brasil, onde hoje já se contam mais de um milhão de mestiços, fêmeas e machos. Somente em 1987, entretanto, a ABCC, pode reunir dados completos de dois abates expressivos ocorridos em São Paulo, de gado mestiço, nascido e criado na Fazenda Santo Antonio, no Estado do Mato Grosso Sul e, confinado no Estado do Paraná. Esse trabalho foi desenvolvido pelo Grupo Cotia, na Fazenda São Paulo, Alvorada do Sul – Pr. Os abates ocorreram no Frigorifico Cotia, em São Paulo.

Origens do gado mestiço

Basicamente foram utilizados fêmeas zebuínas, não aproveitadas para o programa de seleção do plantel, da Raça Nelore.

As vacas foram sempre mantidas a pasto, com idades variando de três a seis anos, em sua maioria. Foi empregada inseminação artificial com sêmem produzido no Brasil, de três reprodutores PO da Raça Chianina. Os reprodutores usados foram: FOSFATO 0234, PLUTÔNIO GM 1572 E POPO 2129, das seguintes origens:

a) Fosfato (0234), de 24.09.70 – importado da Itália, filho de Clito(7493) e Arnolda(4366);
b) Plutônio GM(1572), de 03.11.76 – nascido no Brasil, Reservado Campeão na Expo.São Paulo, 1978. Pesou 328 Kg. aos 205 dias; 539 aos 365 dias e 773 aos 550 dias. Filho de Ciancone(0459) e Gallica(0433);
c) Popo(2129), de 24.07.77 – 85 pontos – importado da Itália, filho de Morco(1624) e Goga(TR-3262). Pesou 310 Kg. aos 6 meses.
     Os nascimentos dos produtos dos três reprodutores, ocorreram nos períodos:
Fosfato -------------Julho 85 a Novembro de 1985
Popo----------------Outubro 85 a Janeiro de 1986
Plutônio GM ---------Janeiro 86 a Junho de 1986

  
Estes meio sangue nascidos e criados a campo, foram enviados para confinamento nos dias 07 e 20 de Julho de 1987, para a Fazenda São Paulo, em Alvorada do Sul-Pr, em idades variando de 17 a 22 meses.

Confinamento

Os machos foram confinados a céu aberto, em duas áreas de 6.180 e 6.600 metros quadrados, ambas com o piso gramado e contando com cochos de 70 metros de comprimento, distribuidos em 02 lotes de 103 e 110 animais, de maneira a garantir 60 metros quadrados por área, por animal.

As fêmeas foram confinadas em local semi-coberto, calçado, distribuídas em lotes de 25 animnais cada, em área de 15x12 metros, de modo a permitir 7 metros quadrados por animal, com cocho de 15 metros de extensão.

O local do confinamento dispunha de bebedouros em quantidade suficiente, com instalações na Fazenda, para preparo e distribuição de rações, brete e balança.

Alimentação

A alimentação diária dos machos foi feita com a seguinte composição e distribuída nas quantidades abaixo, de acordo com o peso nos conjuntos e à medida que eram observados aumentos:

Componentes (Kg)

PESO DOS BOIS EM ARROBAS

 

12

13

14

15

16

Silagem de milho

18

20

22

23

23

Torta de algodão

0,5

0,4

0,2

0,1

0,1

Milho triturado

1,0

1,3

1,7

1,7

2

Sorgo triturado

3,5

4,5

4,4

4,5

5

Bicarbonato de Sódio

0,025

0,03

0,03

0,035

0,035

Uréia

-

0,02

0,03

0,05

0,05

-

R (1)

-

-

-

R (2)

Obs: Ração distribuída três vezes ao dia

Na alimentação das fêmeas foi adotada praticamente a mesma ração, apenas com ligeiras alterações, a saber:
Silagem de milho..........18 kg
Torta de algodão......... 0,5 kg
Milho triturado............ 0,8 kg
Sorgo triturado........... 3,5 kg
Bicarbonato de sódio... 0,026 kg
                        R(3)

As quantidades fornecidas diariamente, em três vezes ao dia variaram de 4,20 kg à 5,65 kg, por animal, de acordo com o seu peso a partir de 286 kg de peso vivo, até 394 kg, em média. Sais minerais e calcário dolomitico também foram incluídos nas rações.
 
As rações garantiram as necessidades de sustentação e engorda com a composição que continham, ou seja:
     MS      PD       NDT    CA   P
R(1) 10,49   0,930   8,52   18   37
R(2)  8,29   0,702   6,63   15   43
R(3)  8,11   0,687   6,46   15   32

     Todos os animais foram vermifugados com Sinantic MD, receberam vitamina ADE e foram vacinados contra a febre aftosa.

Pesos e ganhos no confinamento
 
A permanência dos animais no confinamento foi variada e dependeu principalmente dos ganhos alcançados individualmente e bem assim das conveniências economicas de abate.
 
No quadro 1 – são mostrados os lotes formados de acordo com os abates ocorridos, quando o primeiro grupo foi constituído por animais de maior desenvolvimento, 33 machos e 25 fêmeas. No segundo grupo foram incluídos os demais animais, ou seja, o maior contigente. Nesse quadro aparecem as idades médias de cada lote, o respectivo tempo de confinamento e os pesos médios de entrada e saída. Em outras colunas aparecem o ganho total, o ganho médio e o máximo individual no lote.
 
No quadro 1 – sobressae o ganho médio total de 168 kg do lote de 57 meio sangue mais jovem(21 meses e 10 dias). Também foi alto o ganho médio diário no confinamento dos 33 machos, 1878 kg com um máximo individual de 2,971 kg(quase 3 kg por dia). O ganho médio antes do confinamento, a pasto, para todos os produtos foi o seguinte, considerados por lote:

LOTE
Nº IDADE
MÉDIA/DIAS  
GANHO MÉDIO DIÁRIO(KG)
Machos
33
674
0,569
Machos
123
633
0,511
Machos
57
500
0,540
Fêmeas
25
675
0,536
Fêmeas
73
616
0,476
Nelore
63
1.080
0,334

QUADRO 1

COMPORTAMENTO DE ½ CHIANINA/NELORE EM CONFINAMENTO NA FAZENDA SÃO PAULO, ALVORADA DO SUL–PR, JULHO /NOVEMBRO DE 1987

SEXO IDADE
MÉDIA
DIAS DE
CONFINA
MENTO
PESO
ENTRADA
KG
PESO
SAÍDA
KG
GANHO
TOTAL
KG
GANHO
MÉDIO
KG
MAIOR
GANHO
KG
M 33 24m/23d 69 414,1 543,6 129,6 1,878 2,971
  123 25m/11d 127 354,4 503,1 165,9 1,170 1,692
  57 21m/10d 140 300,0 468,1 168,1 1,200 1,857
F 25 25m17d 82 390,7 502,2 111,5 1,360 1,890
  73 25m/06d 140 321,5 474,5 153,0 1,093 1,428

M - NEL

63 36m 92 381,0 507,5 126,5 1,375 -


Resultados dos abates
 
Os abates ocorreram à medida em que os animais em confinamento alcançaram peso suficiente e as condições do mercado de carnes(preços) se mostraram favoráveis.
Foram realizados dois abates acompanhados por técnicos da Associação Brasileira de Criadores de Chianina, um em 29 de Setembro e outro em 25 de Novembro de 1985, no Frigorifico Cotia, no Estado de São Paulo, distante cerca de 700 quilometros do local de confinamento.

Os resultados dos abates aparecem no quadro 02 mostrando três lotes de machos, dois de fêmeas, ambos meio sangue Chianina/Nelore e um lote de machos de raça Nelore. A obtenção de 255 kg de carne em média no lote ou 17 arrobas com a idade de 21 meses e 10 dias, entre 57 animais. É uma importante indicação do quanto pode ser conseguido com os mestiços meio sangue Chianina com raças Zebuínas. Este resultado está confirmado com o alcançado em outros dois lotes de 123 e 33 animais que registraram 276,4 e 287, 1 kg de carne, respectivamente, 18,4 e 19,1 arrobas, nas idades médias de 25 meses e 11 dias e 24 meses e 23 dias, isto é 287 kg de carne ou 19 arrobas aos 2 anos.
 
Estes resultados comparados com o obtido no lote testemunha de 63 novilhos Nelore, com 36 meses de idade dos quais 92 dias em confinamento quando produziram 246,1 kg de carne ou 16,4 arrobas mostram o grande potencial à disposição dos criadores brasileiros, com o uso da mestiçagem com a raça Chianina. E note-se o registro alcançado pelos novilhos Nelore é bastante significativo para a raça.

QUADRO 2

COMPORTAMENTO DE ½ CHIANINA/NELORE AO ABATE, APÓS CONFINAMENTO
ABATES DIAS 20/09/87 – 25/11/87 – FRIGORIFICO COTIA – SÃO PAULO

SEXO

IDADE
MÉDIA

DIAS DE
CONFINA
MENTO

PESO
CARCAÇA KG

ARROBAS

%

M

33

24m/23d

69

287,1

19,1

54,4

 

123

25m/11d

127

276,4

18,4

56,6

 

57

21m/10d

140

255,3

17,0

56,2

F

25

25m/17d

82

268,5

17,9

55,1

 

73

25m/06d

140

250,8

16,7

54,7

M -NEL

63

36m

92

246,1

16,4

50,0


RESUMO
 
É descrito no trabalho, o comportamento e os resultados de abate de lotes de 213 machos e 98 fêmeas ½ sangue Chianina x Nelore e 63 machos Nelore. Criados a campo em Mato Grosso do Sul, com confinamento no Paraná, no período de Julho a Novembro/87. Os abates ocorreram no Frigorífico Cotia, em São Paulo, em datas diferentes. As idades médias à entrada no confinamento variaram de 500 a 675 dias entre os mestiços e 940 dias para os machos Nelore. Ao final, os machos ½ sangue Chianina x Nelore, mostraram carcaças com os seguintes pesos médios:

O lote de 57 animais de 21m/10d com 255,3kg–(17 arrobas).

O lote de 123 animais de 25m/11d com 276,4 kg - (18,4 arrobas).

O lote de 33 animais de 24m/23d com 287,1 kg – (19,1 arrobas).

Os lotes de fêmeas ½ sangue Chianina x Nelore mostraram os seguintes pesos médios de carcaça:

O lote de 25 animais de 25m/17d com 268,5 kg – (17,9 arrobas)

O lote de 73 animais de 25m/06d com 250,8 kg – (16,7 arrobas)

E finalmente o lote de bovinos Nelore, formado por: 63 animais de 36m com 246,1 kg – (16,4 arrobas).

Os animais eram filhos de três reprodutores puros Chianina, registrados, dos quais se contava com datas de nascimento, filiação, pesos e entrada e saída do confinamento e peso das carcaças.
 
A influência dos reprodutores mostrou diferenças que podem ser atribuídas em parte a menor idade de um lote e em outro caso, possivelmente, por influência genética.
 
OBS: Estiveram incumbídos da direção dos trabalhos na Faz. São Paulo, Engº Agrônomo Leo Grellet e o Sr. Nelson Rodrigues Jr.

FONTE:
Associação Brasileira de Criadores de Chianina
Av Francisco Matarazzo, 455 – CEP 05001-900 – São Paulo-SP
Tel: (11) 3672-6044 Fax: 3672-6859

Subir